Gwendolyn descobriu que a experiência é uma montanha-russa de emoções que não é nada fácil.
Gwendolyn descobriu que a experiência é uma montanha-russa de emoções que não é nada fácil.

As coisas mais importantes em primeiro lugar. Dei a Jeremiah (meu marido) a liberdade para escolher o nome de nosso bebê e ele, sozinho, pensou em Sophia Lynette. Sophia é um nome de que ele gostava. Além disso, é a personagem de Oprah Winfrey em um dos meus filmes favoritos, A Cor Púrpura. Caso você ainda não tenha percebido, meu nome é Gwendolynette. Esta é a história de como nossa filha Lynette nasceu.

Comecei a ter contrações em um sábado à noite, em fevereiro. Minha consulta de rotina com a médica era na terça-feira seguinte, de manhã, e eu expliquei a ela o que aconteceu durante o fim de semana. Ela me examinou imediatamente e me pediu para não fazer esforço. Se a dor persistisse ou se eu começasse a ter corrimento, sangramento ou ver manchas de sangue, deveria ligar para ela. Mais tarde naquela noite, depois de voltar para casa, as contrações estavam insuportáveis, e um sangramento teve início. Nós ligamos para a médica e pediram que nós fôssemos ao hospital.

Por causa do sangramento, os médicos decidiram me internar para ficar em observação. Por fim, recebi magnésio para diminuir as contrações e aliviar meu desconforto. Depois, me deram duas doses de esteroides para o bebê, para ajudar a desenvolver seus pulmões caso ele nascesse prematuramente. Quando acordei na quarta-feira, minha médica me disse que tinha pedido um sonograma e não queria me dar alta até que o exame fosse feito.

Enquanto o técnico estava realizando o sonograma, ele perguntou: "Quantas cesarianas você já teve?" Eu disse: "Duas, e este bebê será a terceira". Ele disse: "Eu vou chamar a médica; voltaremos logo". Eu sabia que isso não era bom. Os dois médicos contaram a mim e a Jeremiah que meu útero tinha se rompido e que eu precisava fazer uma cesariana de emergência imediatamente. Isso foi às 17h08. Às 17h57, nasceu Sophia Lynette, com apenas 29 semanas.

Desde então, ela passou por muitas dificuldades. Tendo nascido três meses prematura, ela sofreu problemas cardíacos, hemorragias cerebrais, insuficiência respiratória, pneumotórax, uma infecção sanguínea, cirurgia para reconectar os intestinos; tudo isso enquanto estava conectada a aparelhos para manutenção das funções vitais. Esqueci de mencionar também que nossa casa foi destruída por um tornado enquanto tudo isso acontecia!

Tem sido uma montanha-russa de emoções, e não tem sido fácil. Enquanto escrevo isto, Sophia Lynette já não está mais sob aparelhos e seus pulmões e coração estão melhores. A equipe e as instalações do Cook Children's Medical Center em Fort Worth foram inacreditáveis — eles deram o melhor atendimento à nossa filha e ela está melhorando continuamente por causa do trabalho árduo e da dedicação dessas pessoas, além das instalações de alto nível que eles têm.

Durante esta jornada, fiz um blog; poder compartilhar as atualizações com minha família e meus amigos foi muito terapêutico. A jornada continua; mas, graças ao cuidado e ao apoio que temos recebido, Sophia Lynette está progredindo, e esperamos poder levá-la para casa em breve.

Histórias do Giraffe